O vazio que fica para trás quando imigramos


Quero falar um pouco sobre o vazio que fica dentro de nós quando deixamos nosso país para ir morar em outro lugar. Seja imigrando para o Canadá, Austrália, Portugal, Irlanda, etc.

E não! Fazer intercâmbio não deixa a mesma sensação de quem emigra. Pois você sabe que ao fim do intercâmbio, vai voltar e retomar a vida que tinha. Sim, você terá novas experiências, vivência de mundo, etc. Mas mesmo assim,e posso estar errado, não acho que seja comparável.

E posso dizer que tenho experiência pessoal no assunto! Já que fiz um intercâmbio de quase 10 meses nos Estados Unidos; E imigrei para o Canadá, mas especificamente Montreal-Quebec, e cá estou desde 2013.

O que me fez escrever esse post

Foram dois acontecimentos que me inspiraram a escrever esse texto. O primeiro foi essa escultura impressionante logo abaixo. E a segunda foi a pergunta que me fizeram recentemente: Você não sente falta da sua família? Dos seus amigos? Do seu país?

Sou perguntado frequentemente sobre isso. Principalmente pelos próprios canadenses. Então ao juntar o questionamento com a imagem da escultura do homem-viajante-vazio; Me fez realmente pensar no assunto e querer dividir com vocês.

A magnífica escultura de Bruno Catalano

O vazio que fica em nós - Escultura de Bruno Catalano

Em uma primeira olhada, pensamos se tratar de uma montagem ou que nossa vista está nos pregando uma peça. Mas na verdade, a escultura é exatamente assim. Para os menos imaginativos, a parte de cima não está voando. Está “soldada” na base em um pequeno pedaço que a mala “toca” nas pernas. Simples… Porém, genial! Não é verdade?

O autor dessa bela escultura é o francês Bruno Catalano. Ele a chama de o “Cidadão Mundial”. E a inspiração veio da própria vida de Bruno, que nasceu no Marrocos mas se mudou para a França quando adolescente. E ele disse que quando isso aconteceu, sentiu que verdadeiramente estava deixando um pedaço para atrás. E que isso lhe causou um vazio. Daí a escultura ter esse “buraco” enorme.

Vale a pena dá um google no nome dele e ver outros trabalhos e também ler o wikipedia. Vou deixar o link no final do artigo. Agora vamos voltar ao tema.

Outro ângulo da escultura de Bruno Catalano - O vazio em quem deixa seu país

O vazio que nunca será preenchido na vida do imigrante

Não se iluda! Ao deixar seu país, por mais bagunçado e terrível que ele seja, você irá sentir que está deixando um pedaço para trás. Mesmo que estejamos falando do Brasil. Sim! É um país corrupto, péssima qualidade de vida, falta de segurança, poucas perspectivas, etc. Mas é (ou foi) nossa casa. E isso não tem como apagar.

Você já conhece a cultura, o modo de agir das pessoas. Sabe aonde encontrar determinadas coisas. Conhece a geografia. Por mais que você pesquise sobre o país que você vai imigrar, seja Canadá ou qualquer outro, nunca saberá o mesmo tanto.

Após 6 anos aqui, eu ainda estou descobrindo coisas novas. Aprendendo. Principalmente os modos de agir em determinada situação. Até coisas triviais. Um exemplo bobo: no Canadá geralmente as pessoas não se tocam. No Brasil, tocamos uns nos outros o tempo todo. Estou falando daquelas situações que você está falando com alguém, e cutuca a pessoa. Ou pega no braço, etc.

Quando cheguei aqui e fiz isso, sem nem perceber, a pessoa olhou para mim extremamente assustada. Foi hilário. Depois fui aprendendo e deixando de fazer. Claro que isso é só uma situação. Outro exemplo, é que geralmente os brasileiros falam muito mais alto (tom de voz) do que os canadenses. E isso também fui assimilando.

A grande verdade é que nada te afetará mais do que não estar perto da sua família e amigos de verdade (aqueles que são como família).

Sim, com a internet ficou bem mais fácil a comunicação. Mas as vezes você quer abraçar, estar junto, e não pode. Um exemplo pessoal é que meu primeiro sobrinho nasceu lá no Brasil e ainda não o peguei nos meus braços. Ele nem sabe que eu existo, para falar a verdade. Se eu tivesse lá, tentaria visitá-lo sempre que possível, o que agora é inviável por conta da distância.

A barra é pesada, mas não é impossível de aguentar. Com o tempo você se acostuma até com o vazio que existe dentro de você. Aprende a canalizar a energia para outras coisas. E claro, começa a comparar a qualidade de vida que conquistou no Canadá com a que tinha no Brasil, e realiza a boa escolha que fez.

Pois, só o fato de sair de casa sabendo que as chances de eu ser assaltado são perto de zero, já me deixa tranquilo. Sentar na grama de um parque, com meu celular ou notebook enquanto meus cachorros correm pela grama, sem se preocupar que alguém vai chegar e me apontar a arma na cabeça, é priceless.

Conclusão & Aviso

Então, a vida é feita de escolhas, e por mais clichê que isso seja, é a pura verdade. Você irá ter que pesar e analisar o que vale mais a pena. Uma pessoa que não consegue se imaginar morando longe dos pais e irmão, não é um bom candidato a imigrar.

Porém, devo dizer que morar em outro país tem um ponto positivo que poucos falam: quando você volta para visitar sua família, amigos e conhecidos, todos te tratam melhor! Talvez, seja por saberem que você irá embora em breve. Risos!

O Canadá é bem diferente do Brasil. Principalmente o povo. Não estou dizendo que um é melhor que o outro. Claro que não. Cada um tem seus pontos positivos e negativos. Porém, é extremamente importante, para quem quer se aventurar como imigrante, ao chegar aqui, manter a mente aberta! Always!

Quero finalizar dizendo que nitidamente a frequência de artigos e posts no site diminuiu, não é mesmo? Mas não se preocupem. É simplesmente pelo fato de que estou em época de provas, pois meu curso de Consultor de Imigração Regulamentado está chegando ao fim.

É essa a única razão de eu estar postando menos aqui e também no instagram (@siteimigrar). Próxima semana devemos voltar ao ritmo normal de 2 a 3 posts no site! Fiquem ligados!

Site Oficial do Bruno Catalano: https://brunocatalano.com/

Minha esposa também publicou um artigo com um mesmo viéis, você pode conferir aqui: Vale mesmo a pena imigrar para o canada?

Não perca!

Se você quiser contar com meus serviços de consultor, é só mandar um e-mail para [email protected]Sou credenciado ao órgão regulamentador aqui no Canadá (ICCRC). Meu número de licença é: R705937

Inscreva-se no Site Imigrar Canadá e Quebec e seja notificado por e-mail sempre que um novo artigo ou post for publicado. É só colocar o endereço do seu e-mail abaixo:

Siga nosso Facebook e Instagram para ficar ligado em notícias como essas e muito mais. No Face e Insta tem conteúdo extra que não é publicado aqui.

Imigração Canadá? É aqui! Desde 2012 ajudando você a vir morar no Canadá. Sua fonte número 1 de informação sobre imigração para o Canadá!

Agora que você terminou de ler esse artigo, veja outros artigos: Clique Aqui!

Não esqueça de compartilhar nas suas redes sociais usando os ícones abaixo!

2 thoughts on “O vazio que fica para trás quando imigramos

  1. Verdade, Carolina.
    Mas é como eu disse: pensando os prós e contras, de se mudar para um país como o Canadá, os pontos positivos vão superar os negativos!

    Att,
    Rafael

  2. Eu quero morar no Canadá, mas já penso nesse vazio que vou sentir todos os dias. Enfim, é uma escolha e nunca vai ter nenhum lugar como a nossa casa, mas tudo tem um preço. :)

Deixe o seu comentário

Posts Recentes

Site Imigrar (Esta janela vai fechar em 10 segundos)

Inscreva-se no Site Imigrar para receber as últimas atualizações por e-mail.