Categorias
Express Entry Imigração pro Canadá

Após mudanças no Express Entry, Francês vira uma das melhores opções para tentar imigrar direto do Brasil

Ontem foi anunciado pelo Ministro da Imigração Canadense, Marco Mendicino, algumas mudanças no sistema de pontuação do Express Entry.

Na verdade só foram duas mudanças no EE, porém elas têm uma implicação muito grande. Pois agora o francês passou a ser uma das melhores opções de tentar a residência permanente direto do Brasil.

Não só isso mas o francês também abre as portas para alguns processos de imigração provinciais e para o Québec.

Agora irei falar mais das mudanças na pontuação e sua implicação. Allons-y (Let’s go)?

Express Entry e a Imigração francófona fora do Québec

Para quem não conhece o Express Entry, ele é um sistema federal (do Governo do Canadá) que tenta atrair profissionais qualificados para o país. Ele tem 3 programas:

  • Federal Skilled Worker (FSW)
  • Federal Skilled Trade (FST)
  • Canadian Experience Class

Existem também programas provinciais (Provincial nominee Class (PNP) que utilizam o EE para selecionar imigrantes.

O Québec não faz parte do Express Entry, já que a Belle Province tem seu próprio sistema de imigração e seleciona seus próprios imigrantes.

Eu já escrevi um verdadeiro guia sobre o EE, com tudo que você precisa saber, e por isso não irei repetir aqui. Você pode acessar o artigo aqui, se quiser entender melhor antes de prosseguir a leitura: https://imigrar.com.br/imigrar-canada-express-entry/

Dos processos do Express Entry, o Federal Skilled Worker é um que permite aos candidatos imigrarem para o Canadá sem nunca terem pisado no país. Ou seja: é possível conseguir a residência permanente direto do Brasil.

Mas por conta da alta pontuação da nota de corte, tem cada vez sido mais difícil para as pessoas conseguirem. E por isso muitos vem fazer college ou universidade no Canadá para tentar imigrar utilizando o PGWP (permissão de trabalho que é dada para quem se forma em algum curso no país).

Porém com a mudança anunciada ontem (dia 28 de outubro de 2020), aprender ou melhorar o francês pode ser uma das formas de imigrar do Brasil, sem ter que gastar muito dinheiro em um curso superior aqui no Canadá.

O que mudou e implicações – Francês pode ser o caminho

A mudança foi bem simples, porém com grandes implicações.

Como era:

  • Pessoas com pelo menos CLB 7 em francês (equivalente ao B2) ganhavam 15 pontos de bônus.
  • Pessoas que sabiam francês e inglês (CLB 7+ e CLB 5+ sucessivamente) recebiam 30 pontos extras.

Como ficou:

  • Pessoas com CLB 7 (ou mais) em francês agora ganham 25 pontos.
  • Pessoas que sabem o francês (CLB 7+) e o inglês (CLB 5+) agora ganham 50 pontos!

Um detalhe importante é que todos esses pontos são extras (ou bônus).

O que isso quer dizer? Um aplicante irá ganhar todos os pontos individuais de cada habilidade (Falar, Escutar, Escrever e Ler) + os pontos extras acima. Tudo é somado.

Dessa forma é possível somar pontos preciosos e dependendo do seu perfil, pode até te garantir a imigração do Brasil.

Lembrando que as mudanças já foram implementadas. Desde ontem, a nova pontuação já está em vigor.

O poder do Francês

Para mostrar a importância do Francês é só olhar a imagem tirada abaixo do próprio sistema de ranqueamento do Express Entry:

Dá para notar que ter um bom nível de francês (CLB 7 ou maior) é uma das poucas formas de se conseguir pontos adicionais no Express Entry. Sem tirar que não exige a ida da pessoa até o Canadá, afinal dá para aprender o idioma no Brasil.

Olhando a imagem acima, dá para ver que o Francês, por exemplo, está dando mais pontos do que um curso “superior” no Canadá! E o mesmo número de pontos de uma job offer para profissões NOC 0, A ou B.

Apesar de no Arranged Employment aparecer 200 pontos, para isso é necessário uma oferta de emprego nível NOC 00 (zero-zero). Que são os empregos de diretoria, gerência geral etc. Algo pouco acessível e muito raro de acontecer para quem está fora do Canadá.

Já NOC 0, A ou B dá 50 pontos. Mostrando que o francês está tão valioso quanto conseguir uma oferta de emprego de uma empresa canadense (que venha através de uma LMIA ou que seja LMIA exempt). Que também não é algo corriqueiro.

Outra comparação, usando o sistema de pontuação do EE, pode ser vista abaixo:

A língua de Molière está dando a mesma pontuação de uma pessoa que tem 3 anos de experiência no estrangeiro + 2 anos ou mais de experiência profissional no Canadá.

Isso mesmo: ter um bom nível de francês pode dar a mesma pontuação bônus (50 pontos) de alguém que, por exemplo, trabalhou 2 anos no mercado de trabalho canadense em NOC 0, A ou B.

Uma boa parte dos estrangeiros no Canadá, conseguiram seus permis de trabalho ou por causa que o cônjuge está matriculado em um curso superior, dando um OWP (Open Work Permit) ou mesmo através do PGWP (Post-Graduate Work Permit). Mas esse caminho demanda muito investimento.

Enquanto uma pessoa, sem precisar sair do Brasil, pode se dedicar e estudar o francês, gastar bem menos que o valor de um curso superior no Canadá, e conseguir a mesma pontuação.

O Francês pode salvar as pessoas que já não são tão jovens

Não é segredo de que o Express Entry é um processo que coloca bastante enfase na idade. Quem tem 30 anos para cima começa a perder pontos a cada aniversário.

Por exemplo, quem tem entre 20 e 29 anos se for casado ganha 100 pontos no critério idade. Se for solteiro 110. Aos 30 já se perde 5 pontos. Aos 35 os casados ganham apenas 70 pontos e os solteiros 77. Aos 40, casados recebem 45 pontos e solteiros 50.

Dos 45 anos em diante, casado ou solteiro, tanto faz, não recebe ponto algum. Ou seja: zero!

Por isso, aprender (ou melhorar) o conhecimento do francês pode ajudar essas pessoas (depende da idade, se zerar fica complicado) a recuperarem esses pontos perdidos.

Exemplos usando meu perfil

Eu já sou cidadão canadense, mas irei, para efeitos didáticos, fingir que estou no Brasil e nunca pisei no Canadá e mostrar algumas simulações do meu perfil. Para ver se é ou não possível conseguir imigrar direto do Brasil usando o francês.

Vou usar tudo verdadeiro, vamos lá. Os fatores principais do meu perfil:

  • Idade: 38 anos.
  • Educação: dois diplomas superiores (bacharelado + pós).
  • Idioma: vou fazer vários cenários, só inglês, inglês + francês.
  • Experiência Profissional no Brasil em NOC 0, A ou B: 3 anos ou mais.
  • Minha esposa: dois diplomas superiores (bacharelado + pós).
  • Idioma esposa: vou considerar CLB 7, para efeitos de simulação.

Lembrando que é praticamente impossível imigrar do Brasil pelo Express Entry, sem ter pelo menos um dos idiomas CLB 9 em todas as habilidades.

Não estou considerando os programas provinciais que utilizam o EE. E que podem sim pescar pessoas com CLB menor do que 9. Aqui estou falando do sistema federal, com seus draws e notas de corte.

O perfil apresentado acima, será usado em todos os cenários abaixo. Apenas os idiomas serão alterados.

Observação: se você for solteiro(a), nos cenários que eu conseguir, uma pessoa solteiro(a) também conseguiria.

A nota de corte do último round do EE foi de 471 pontos. Para imigrar uma pessoa precisaria ter no mínimo essa nota ou maior.

Primeiro Cenário: só inglês

Com CLB 9 em todas as habilidades de inglês minha pontuação ficou em 411 pontos. Bem longe da última nota de corte que foi 471 pontos. Ou seja: praticamente impossível de conseguir receber um convite no EE.

Segundo Cenário: só francês

A pontuação ficou em 435. Pois ganhei 25 pontos extras por saber o francês. Mas ainda continua longe da nota de corte (471 pontos). Também sendo praticamente impossível imigrar só com o francês, dado o meu perfil.

Terceiro Cenário: Inglês (CLB 9) + Francês (CLB 7)

Com inglês CLB 9 e francês CLB 7 eu teria 473 pontos! Mesmo com 38 anos de idade, seria muito provável receber uma ITA (convite) para imigrar e obter minha residência permanente, direto do Brasil.

Lembrando que é necessário CLB 7 em todas as habilidades do francês, pois se uma única habilidade for CLB 6, mesmo as outras 3 sendo CLB 7, a minha pontuação cairia para 421 pontos.

E no inglês eu iria precisar de CLB 9 em tudo, pois se uma única habilidade for CLB 8, mesmo as outras 3 sendo CLB 8, a pontuação despenca para 416 pontos.

Isso se dá por causa de outro “bônus”, que é dado para quem tem CLB 9 em todas as habilidades de um dos idiomas (tanto faz francês ou inglês) + 3 anos de experiência profissional no exterior (brasileira por exemplo).

Quarto Cenário: CLB 9 em francês e CLB 7 em inglês

É a mesma pontuação acima: 473 pontos.

Quinto Cenário: Alguém com 30 anos de idade e só com francês

Uma pessoa com até 30 anos de idade e com CLB 9 em francês, com o mesmo perfil meu acima (casado, dois diplomas, cônjuge CLB 7) vai ficar com 476 pontos! (Alguém com 31 anos, teria 471, ainda possível).

Não precisa nem aprender inglês. Aliás, não precisa fazer nenhum teste de inglês, apenas o francês. E qual seria a pontuação dessa pessoa apenas com CLB 9 em inglês?

Essa mesma pessoa se tiver CLB 9 em inglês terá uma pontuação de 451 pontos, não sendo possível imigrar direto do Brasil.

Ou seja: aprender francês para alguém de 30 anos (ou 31), com dois diplomas, CLB 9, etc. permite a pessoa a imigrar direto do Brasil. Só inglês não!

Outras considerações

Lembrando de que estou falando do meu perfil. Mas, por exemplo, uma pessoa que não tem dois diplomas irá somar 32 pontos a menos do que alguém que tem. Dois diplomas não precisa ser dois bacharelados, pode ser um bacharel e uma pós.

Da mesma forma que uma pessoa mais jovem irá ter mais pontos no quesito idade. Por exemplo, alguém com o mesmo perfil que eu, com CLB 9 em um idioma e CLB 7 no outro, mas com 35 anos de idade, ao invés de 473 pontos, teria 488.

Por isso é importante adaptar para sua realidade. Se quiser simular seu perfil é só acessar o site oficial do CRS Tool. O link estará no fim do texto.

Mas algo que posso adiantar, é que dependendo da sua idade, se você tiver inglês e francês, é possível conseguir sem precisar ter dois diplomas, apenas com bacharelado.

Por exemplo, uma pessoa com 30 anos, CLB 9 em um idioma e CLB 7 na outra, não precisaria de pós.

Conclusão – Meu caso pessoal

Antes que alguém venha falar: “Ah, mas aprender francês é difícil!” Essa frase simplesmente não “cola” comigo.

Pois eu aprendi francês do zero, em menos de 1 ano, lá em Fortaleza em 2010. Na época que a internet não tinha toda essa informação que temos hoje, vídeos no youtube, professores virtuais etc. Celular não tinha nem internet acessível.

Eu analisei minhas opções na época, e meu plano era imigrar direto do Brasil, sem precisar fazer curso no Canadá. Ao analisar o cenário, vi que a única coisa que me afastava da imigração era aprender o francês, pois eu já sabia inglês.

Após me dedicar bastante, meu esforço valeu a pena e o francês foi o que possibilitou meu sucesso. Eu consegui minha residência permanente canadense, lá em Fortaleza.

E agora com as mudanças anunciadas pelo Ministro da Imigração, o francês novamente pode voltar a ser o caminho, a ponte e o que faz a diferença. Aliás, o idioma já dava pontos preciosos. Porém com o aumento na pontuação, poder ser o fator decisivo! Principalmente para os não tão jovens.

Uma dica: se você ainda não passou dos 31 anos e está começando seu plano Canadá, e ainda não sabe nenhum dos dois idiomas oficiais, talvez seja bom considerar adotar o francês, ao invés do inglês.

Mesmo porque além de dar uma boa vantagem no Express Entry, isso abriria vários processos de imigração específicos, bem como poderia dar acesso a alguns dos programas de imigração do Québec.

Tudo que falei também funciona para quem está aqui no Québec, ou para quem está no Brasil e tinha os olhos da Belle Province. Apesar da terra do Hi-Bonjour não fazer parte do Express Entry, nada impede que você use o francês e/ou experiência adquirida no Québec pra imigrar pelo EE. Só não vai poder ter a província como destino. Terá que se mudar para outra.

Links:

Site Oficial do Express Entry: https://www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/immigrate-canada/express-entry.html

Calculadora do EE (simular seu perfil): https://www.cic.gc.ca/english/immigrate/skilled/crs-tool.asp

Para aprender temos, siglas e acrônimos do mundo da imigração canadense leia esse artigo: https://imigrar.com.br/termos-e-nomenclaturas-canada/

4 respostas em “Após mudanças no Express Entry, Francês vira uma das melhores opções para tentar imigrar direto do Brasil”

Oi, Junior.
Não. O Québec seleciona seus próprios imigrantes. Se você quiser morar no Québec tem que imigrar por um programa do Québec.
Express Entry é para o Canadá inteiro, exceto Québec.

Att,
Rafael

Considerando que o frances ficou tão importante para o EE, ainda assim eu não consigo morar no quebec através do fswp?

Oi, Liliane.
Obrigado pela participação e elogio.
Concordo! Realmente é melhor focar no idioma. Se estudar com afinco e dedicação dá para pegar CLB 7 em francês em menos de 1 ano.

Att,
Rafael Alencar

Ameeei essas simulações! Mas to vendo aqui, que não tem opção de 2º idioma para o aplicante secundário (no caso, meu marido).
Então, o peso fica totalmente no aplicante principal ne.
Quanto maiores forem minhas notas de idioma, mais nossa nota sobe.
No nosso caso, eu tenho mestrado fora do país e meu marido não concluiu o bacharelado, então entra como high school. Se ele for fazer um tecnólogo, ganhamos 4 pontos, mas perdemos em tempo (dura 2 a 3 anos) e eu ficarei mais velha, perderemos 5 pontos ou 10 pontos se formos esperar essa graduação, fora que perderemos tb em dinheiro já que é necessário ter uma boa reserva financeira. O jeito é focar no idioma mesmo!

Deixe o seu comentário